Archive | novembro, 2013

Salada no pote

18 nov

Gente uma amiga das Pochetinhas saiu no jornal acrítica numa reportagem muita bacana pra quem faz marmita para o trabalho, o nome dela é Alda Clícia, vcs já vira fotos dela aqui no blog. Vejam a reportagem completa:

20131110_140456
Por Loyana Camelo
Quem passa o dia inteiro fora de casa sabe como é sofrido acondicionar uma comida saudável para levar para o trabalho, escola e faculdade. A fragilidade dos vegetais folhosos aliada aos legumes altamente perecíveis impede muitas opções, a não se o bom e velho tupperware – que não é lá muito prático (ou glamouroso) de carregar de um lado para o outro. A tendência no exterior, chegando agora no Brasil, resolve esses dois problemas com uma cajadada só: a salada no pote preserva o frescor da receita e coloca-a sob uma perspectiva diferente, e por que não, charmosa?
O passo a passo é mais simples do que se imagina. Em camadas, iniciando de baixo para cima, coloca-se primeiramente o molho, em seguida ingredientes “pesados” (fisicamente falando) para suportar o molho, como rabanetes, cenouras, cebolas, feijões; depois pode-se repetir esta camada com outros itens pesados a exemplo de tomates; e finaliza-se com ingredientes leves como folhas verdes, frutas ou grãos. O número de ingredientes e o tamanho do pode é subjetivo, variando de acordo com a fome de cada um.
Adepta da culinária saudável, a administradora Alda Clícia da Silva, 39, tem o costume de sempre levar saladas para o trabalho e adora testar receitas diferentes. Ela ainda não conhecia a tendência do pote, e assim que testou, aprovou a idéia.
“Acho uma opção prática, principalmente porque dá pra levar para o escritório, é muito discreto e conserva super bem os alimentos. E dá pra brincar com os ingredientes, pôr o que você quiser”, comenta Clícia. Ela conta que decidiu enveredar para reeducação alimentar há 2 anos, tendo pesado mais de 100kg na adolescência.
“Coloco super pouco carboidrato na minha alimentação. Como mais saladas e proteínas, na hora do almoço, sempre estou com a minha saladinha”.

Longa vida útil
Para a nutricionista Luciana Santana, os amazonenses têm dificuldades em geral de consumir saladas, seja pelo preço elevados das verduras, frutas e legumes comercializados aqui, seja pela preguiça pura e simples. “Tudo que for facilitar esse consumo, é super válido”, disse. A respeito da moda do pote, Luciana disse que os recipientes de vidro ajudam a aumentar a vida útil das folhas por impossibilitar a entrada de oxigênio – que estraga os alimentos mais rápido.
Agora um alerta para quem deseja condicionar as saladas no pote durante a semana inteirinha: o molho só pode ser colocado na hora de comer.
“Colocar molhos no fundo do pote não é legal, porque diminui a vida útil do vegetal. Pode até azedar mais rápido. Agora se for azeita extra virgem, ok, porque ele ajuda a conservar”. Dica anotada.

Fonte: Jornal ACritica

Vamos fazer nossos potinhos e levar para o trabalho galera!!!

bjs

Carol

Anabolizantes

11 nov

efeitos-dos-anabolizantes

Oi gente, hoje vim falar com vocês sobre uma coisa muito séria, alguns de vocês deve ter visto ou ouvido falar que uma ex-bbb foi diagnosticada com câncer e que há suspeitas que o que pode ter agravado o quadro foi o uso de anabolizantes. E eu como boa curiosa fui ver do que se trata e não gostei muito dos resultados da pesquisa. Então, me senti na obrigação de alertar vocês sobre o uso de anabolizantes que com o consumo excessivo pode ser muito perigoso e pode causar danos irreparáveis ao corpo humano.

  • Os esteróides androgênicos anabólicos, mas conhecidos como anabolizantes, é um produto derivado principalmente da testosterona, hormônio responsável por muitas características que diferem homem e mulher. Eles atuam no crescimento celular e em tecidos do corpo, como o ósseo e o muscular.
  • O uso de anabolizantes gera efeitos colaterais, tanto em homens e mulheres, como:  aumento de acnes, queda do cabelo, distúrbios da função do fígado, tumores no fígado, explosões de ira ou comportamento agressivo, paranóia, alucinações, psicoses, coágulos de sangue, retenção de líquido no organismo, aumento da pressão arterial e risco de adquirir doenças transmissíveis (AIDS, Hepatite).
  • No caso das mulheres, o uso de anabolizantes pode gerar características masculinas no corpo, como engrossamento da voz e surgimento de pêlos além do normal. Além disso, aumento do tamanho do clitóris, irregularidade ou interrupção das menstruações, diminuição dos seios e aumento de apetite.
  • Nos homens, o excesso de anabolizantes pode causar aparecimento de mamas, redução dos testículos, diminuição da contagem dos espermatozóides e calvície.
  • Em adolescentes, as conseqüências podem ser piores, como comprometimento do crescimento, maturação óssea acelerada, aumento da freqüência e duração das ereções, desenvolvimento sexual precoce, hipervirilização, crescimento do falo (hipogonadismo ou megalofalia), aumentos dos pelos púbicos e do corpo, além do ligeiro crescimento de barba.
  • Esses hormônios podem ser usados clinicamente e, ocasionalmente, serem prescritos sob orientação médica para repor o hormônio deficiente em alguns homens e para ajudar pacientes aidéticos a recuperar peso. Nos casos de necessidade clínica, os pacientes são indicados a tomarem apenas doses mínimas para apenas regularizar sua disfunção.
  • O uso das injeções de anabolizantes esteróides pode levar ao risco de infecção pelo HIV e vírus da hepatite, se as agulhas forem compartilhadas. Esteróides Anabólicos obtidos sem uma prescrição não são confiáveis, pois podem conter outras substâncias, os frascos podem não ser estéreis e, além disso, é possível que nem esteróides contenham.
  • Usar anabolizantes, sem orientação médica, é proibido, além de ser de grande risco para a saúde. Entretanto, por aumentarem a massa muscular, estas drogas têm sido cada vez mais procuradas e utilizadas por alguns atletas para melhorar a performance física e por outras pessoas para obter uma melhor aparência muscular.
  • Um estudo de 2007 traçou o perfil do usuário de anabolizantes no mundo. De acordo com os dados, o usuário típico não é o adolescente ou o atleta, mas o homem de cerca de 30 anos, bem educado e com renda alta, segundo um estudo publicado hoje. Foram pesquisados 2.663 homens e mulheres de 81 países, indicando que o motivo principal para o uso desses compostos é o aumento da musculatura.
  • Muitos atletas consomem anabolizantes a fim de conseguirem uma melhora na performance dentro do esporte. Os anabolizantes, quando entram em contato com as células do tecido muscular, aumentam o tamanho dos músculos do corpo humano. Porém, isso é caracterizado Doping, e o esportista pode ser punido por isso, como já ocorreu em inúmeros casos.  Dependendo da situação, o atleta pode ser banido do esporte.

Fica a dica, cuidado com o uso de anabolizantes, se tiver que usar que seja com prescrição médica.

Uma ótima notícia é que existem os anabolizantes naturais, que têm o mesmo objetivo dos hormônios e substâncias sintéticas, com a grande vantagem de não oferecerem riscos para a saúde.  Os anabolizantes naturais procuram através de uma combinação especial de nutrientes ajudar o corpo a liberar hormônios e substâncias anabólicas dentro de um patamar seguro que o próprio organismo estabelece através de seus mecanismos regulatórios normais.

Alimentos fundamentais para o desenvolvimento muscular são: Ovo, Peixe, Carnes, Legumes, Verduras, Leite, Soja, Frutas em geral, Carboidrato (em substituição ao açúcar), Pimenta, Batata, Batata Doce, Fibras, Aveia, Queijo Branco, Suplementos Alimentares.

Anabolizantes naturais podem ajudar muito atletas e malhadores a melhorarem seus resultados de forma segura.

Fonte: http://www.endocrino.org.br e http://www.planetadocorpo.com

Cuidados na Corrida

1 nov

Gente a acrítica fez uma matéria bem legal a respeito de uma palestra que vai acontecer aqui em Manaus sobre os cuidados que se deve ter na corrida, vejam:

Na próxima quarta-feira (6), Manaus vai receber uma palestra ministrada pela Training da empresa ASICS, Izabel Genjian – especialista em tênis de corrida – durante o evento ela vai falar sobre as técnicas que envolvem a corrida, calçado ideal e também sobre a importância de receber o acompanhamento de um especialista.

“A ideia principal desse encontro é mostrar que existe uma diferença muito grande entre caminhar e correr. E que há diversos tipos de corrida e por isso é importante que o corredor saiba qual é o seu tipo de pisada, para assim encontrar o tênis apropriado”, explicou Izabel.

Além de falar e demonstrar o tênis ideial para cada pessoa. Izabel Genjian também dará dicas importantes para quem quer começar a correr.

“A pessoa que deseja correr deve entender que não pode começar a fazer isso de uma hora pra outra, tem que ir com calma. Primeiro ela deve começar com a caminhada, depois passar para o ‘trote’, que simula uma corrida e quando estiver com condicionamento físico, aí sim começar de fato a correr”, disse a especialista.

Ainda segundo Izabel no momento da transição do “trote” para corrida é que podem acontecer as lesões. “O primeiro passo para evitar qualquer tipo de lesão, além de seguir todas as orientações de um profissional de educação física, é usar o calçado certo. A inclinação do corpo na hora da caminhada é totalmente diferente da inclinação na hora da corrida”, comentou.

“Quando você corre o corpo fica mais pra frente e você dobra mais os joelhos e acaba sobrecarregando as articulações e é nesse momento que pode acontecer algo errado, como uma lesão. Mas se você estiver com o calçado ideal ele vai diminuir o impacto e evitar problemas”, completou.

A especialista também falou que seguir as instruções para a manutenção de cada tênis faz toda a diferença.

“O dia-a-dia é muito importante. Tem gente que se acha esperta e joga o tênis na máquina de lavar, ignorando todas as recomendações dos calçados. O que acontece, depois de duas ou três lavadas o tênis passará a machucar os seus pés e você poderá sofrer sérias consequências. Por isso, o ideal é sempre seguir as recomendações e buscar sempre o bem estar, claro”, finalizou.

Contatos

Izabel Genjian vai ministrar duas palestras em Manaus, no dia 6. Uma no Sesi, na Zona Leste, às 18h30, e outra na Vila Olímpica de Manaus, às 20h30. Informações pelos telefones (91) 8132-0097/ 3222-4621.

 

Vamos lá, corredores!

Fonte: http://acritica.uol.com.br/craque/Cuidados-praticar-abordados-especialista-palestra_0_1021697828.html